quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

DARK


Percebi que é muito difícil falar algo sobre a série Dark. Foi noticiado que ela seria a nova Stranger Things da Netflix, mas a comparação passou longe, não por causa da qualidade, mas por realmente não ter nada de parecido. Em algumas coisas lembra a extinta série Lost, com seus vários mistérios paralelos, mas diferente da história do grupo de náufragos, Dark não dá tiros para todos os lados e sua trama é direcionada à dois únicos objetivos: viagem no tempo e a relação de quatro famílias que tem suas histórias contadas em épocas distintas. Por mostrar os personagens em várias etapas de suas vidas, você precisa de muita atenção e memória. Mas nada que vai atrapalhar sua experiência.

É a primeira série alemã do serviço de streaming, e sua segunda temporada já está garantida segundo o Netflix. Lançada em 1 de dezembro de 2017, recebeu críticas positivas, com um enredo complicado que desafia o expectador. Cada episódio possui um final surpresa, alguns mais surpreendentes que o outro. Possui um ritmo mais lento, diferente do que estamos acostumados, mas isso acaba ajudando a te situar e os criadores não tem pressa em te contar a história. Dosa bem cenas de sexo e violência, tem alguns trejeitos de novela devido a interação entre as famílias, e tem muitos personagens que num primeiro momento podem parecer sem importância, mas que vão se demonstrando essenciais no decorrer dos acontecimentos. Pouco é revelado, deixa muitas pontas soltas para sua continuação, e é altamente instigante.


Numa cidade alemã que sobrevive na dependência de sua enorme usina nuclear, estranhos acontecimentos ocorrem a cada trinta e três anos. Em 2019, o adolescente Jonas Kahnwald tenta atravessar um turbulento período de sua vida após o pai cometer suicídio. Sua mãe Hannah tem um caso com o vizinho Ulrich Nielsen, que é pai dos seus amigos e da garota que ele gosta. Ulrich trabalha no departamento de polícia da cidade e traz consigo uma grande decepção de nunca ter encontrado seu irmão desaparecido em 1986, quando eles eram adolescentes. Esse problema vem à tona novamente quando novas crianças começam a desaparecer na cidade, o fazendo desconfiar que talvez haja uma relação com o antigo desaparecimento do irmão. As coisas se complicam quando alguns dos jovens descobrem que na gruta da floresta, utilizados pelos alunos da escola próxima para esconder drogas, há uma fenda temporal que liga pontos no tempo a cada trinta e três anos. 1953, 1986 e 2019.


Para um bom nerd que se preze, viagem no tempo e suas várias implicações é algo que não deve ser ignorado, e ainda por cima tem todos seus temas envolvidos, que engloba passado sendo modificado por eventos futuros, explicações de fatos ocorridos anteriormente que dependem de acontecimentos que só acontecerão décadas depois, viajantes temporais, buracos negros, e tudo o mais. A principal mensagem de Dark é que tudo está interligado, seja na relação das quatro famílias principais, ou seja no próprio passado, presente e futuro. O mais interessante é saber que algo tão fantástico está ocorrendo e ainda assim ser as ações dos personagens o que chama mais sua atenção.


Dá para perceber que alguns personagens sabem dos segredos das viagens temporais, que fatos que são contados sobre suas vidas em 1986 vão explicar por que alguns deles tomam certas atitudes quando são mais velhos em 2019, ou vice e versa. Jonas e Ulrich se tornam os personagens principais numa trama que vai embolando sua mente quando mostra os personagens mais jovens e você necessita viajar no tempo a todo momento, se localizando em cada período temporal, que ocorrem em muitas vezes de uma cena para outra. Você se acostuma com os personagens com suas aparências de 2019, mas do nada é tirado de sua zona de conforto é levado à 1986, onde a maioria deles não nasceu e os mais velhos são adolescentes e sem aviso prévio interagem entre si sem explicação de quem é quem no futuro, te dando pequenas surpresas enquanto assiste. Se achou complicado, imagine quando o mesmo ocorrer em 1953. Nunca a lei de ação e reação foi tão bem exposta numa série. Para um público que quer novas experiências.