sexta-feira, 11 de agosto de 2017

DEAD BODY ROAD


Dead Body Road é um filme de perseguição em quadrinhos.  Ao ler você se sente numa poltrona assistindo um road movie, com tiroteios, estradas perigosas e todo o tipo de personagem comum nesses tipos de produções. A história tem um ar de Quentin Tarantino (sem os diálogos característicos), e também dos irmãos Cohen, pois toda a trama está relacionada à um crime, no decorrer da trama vão aparecendo personagens perigosos com uma carga de assassinatos nas costas. O autor Justin Jordan (o cara é uma figura) está despontando no mercado dos quadrinhos como um dos novos bons escritores da nona arte, já com alguns quadrinhos de sucesso pelo caminho, e em Dead Road Body ele usa e abusa dos estilos cinematográficos citados e faz com que tenhamos uma experiência no mínimo divertida.

A impossibilidade de garantir a mesma emoção que temos nos cinemas quando assistimos a um filme de ação que engloba fuga, onde tudo parece estar em movimento o tempo todo, exigem dos escritores de livros uma destreza para transmitir ao leitor esse sentimento de perigo e ação, e nos quadrinhos a parceria autor e artista deve ser muito bem amarrada. Pode-se garantir que tanto Justin, quanto Matteo Scalera (Clique aqui e acompanhe o blog do artista) fizeram um ótimo trabalho, explorando as peculiaridades comuns nesse estilo de filme. A história e os desenhos te prendem do começo ao fim, e tudo acontece rapidamente, e você lê as seis edições numa tacada só. E as capas, com o título grande ao fundo de alguma cena, são bem chamativas.


A história é a mais simples possível. Em um assalto à banco, a policial Anna é fatalmente ferida, e um dos assaltantes, um perito em TI, foge com o dinheiro. Ele não concordava com a maneira que o grupo estava agindo no roubo, e planejava fugir com sua namorada Rachel e construir uma nova vida. Mas os demais criminosos trabalham para Kane, um chefe do crime conhecido por suas várias relações no submundo, que fará de tudo para saber onde o dinheiro está escondido. Em meio a essa perseguição pelas estradas quentes e poeirentas americanas, Gage, um ex-combatente, não descansará até se vingar pela morte de Anna, sua esposa. Kane contrata uma gangue de motoqueiros e coloca todos os seus capangas no encalço do casal, em especial Rachel, que passa a ser protegida por Gage, que ainda precisa se desvencilhar de problemas do seu próprio passado ao encontrar um velho inimigo que estava em seu encalço e aproveita toda essa situação.



Há muitas cenas de perseguição, explosão, embates sangrentos onde vemos corpos decepados e entranhas espalhadas no asfalto. Há cessões de tortura, palavreado chulo e mais e mais você se lembra, mesmo que vagamente, de filmes como “Assassinos por natureza” (Oliver Stone, 1994). Em algumas partes o leitor consegue até imaginar uma trilha sonora ao fundo, e a arte final e cores nos dão a impressão que está saindo poeira das páginas. Com certeza poderia durar mais, mas tudo que é bom dura pouco e fica aquela sensação de quero mais. Que venham mais quadrinhos da Image Comics com essa dupla.


Quer conhecer mais quadrinhos parecidos? Veja abaixo:

OUTCAST