segunda-feira, 3 de julho de 2017

O LIVRO DAS LISTAS


Listas servem mais para nos situar e quem sabe nos apresentar algum item que desconhecemos. Desta forma poderemos ver um filme que não iremos gostar, ou ler aquela HQ desconhecida que tem qualidade surpreendente. Mas obviamente uma lista de dez mais sempre gera repercussão, pois gostos diferem e sempre fica de fora uma escolha que para você não poderia faltar, ou foi incluído algo que você não gostou. No site Lista 10 temos milhares de exemplos e volta e meia a revista Rolling Stones lança uma lista polêmica. Mas nesse mundo de listas posso garantir que O livro das listas é um caso à parte.

Feito por vários colaboradores e lançada pela primeira vez em 1977, teve dezenas de sequências com atualizações e novas listas inclusas desde então. Mais do que um livro para determinar o que é bom e o que é ruim, para mim foi uma grande porta de entrada para vários mundos, outras vezes foi um achado curioso. Em nenhum momento ele coloca as escolhas em ordem, nem muito menos informa que a lista é a última palavra sobre determinado assunto. O que vale aqui é o humor e bizarrices. Muitas coisas são difíceis de acreditar, nos fazendo pesquisar na internet as informações, o que é legal, uma vez que o livro não tem imagens. Serve de incentivo para pesquisas e impulsiona nossa análise sobre temas interessantes ou no mínimo extremamente curiosos, e inúteis.
  

Chega de os dez mais disso ou daquilo. Tem listas com mais de vinte e dois itens, outras com apenas seis. Dividido em 15 capítulos temáticos, muitas das listas com verdadeiros históricos sobre cada assunto, como 18 pessoas famosas que foram expulsas da escola, onde há um breve histórico de todos os dezoito casos, entre eles Humphrey Bogart, Salvador Dali, Benito Mussolini e Owen Wilson. Uma que achei muito interessante foi 8 pessoas quase indestrutíveis, onde cada caso é narrado e com certeza te induzirá a passar um bom tempo na internet pesquisando o assunto. Listas como 23 atores e atrizes que recusaram grandes papéis te farão levantar as sobrancelhas de surpresa, e para quem gosta de cinema esse livro é um prato cheio.

Não que o livro não determine escolhas, mas ele o faz convidando uma personalidade para que sua lista de melhores seja apresentada. As 6 cenas mais assustadoras já filmadas segundo Stephen King, 10 filmes favoritos de William Friedkin (diretor dos filmes O exorcista e Operação França), 10 comédias favoritas de Walter Matthau são umas das listas feitas por um convidado especial. Podem ser opiniões bem diferentes da maioria, mas vale à pena assistir um filme de comédia indicado pelo saudoso Walter Matthau.
  

Algumas bizarrices como 7 artistas perfeitamente deploráveis nos faz deparar com pessoas como o mágico Hadji Ali que no início do século XX fazia verdadeiros espetáculos de regurgitação (ele bebia quase cinco litros de água e depois meio litro de querosene, ejetava o querosene num castelo de madeira e ateava fogo, e depois vomitava a água apagando o incêndio). Esse é só mais um entre tantos exemplos, até piores. Lembro de ter visto um vídeo desde mágico em um especial do David Blaine, onde ele tenta refazer a mágica do lendário Hadji, que morreu devido à intoxicação. Ler e depois assistir algo sobre o assunto, mesmo que seja anos depois, te ajuda a se situar mais facilmente. Em outra lista conhecemos Tommy Minnock, ator que representou Jesus numa peça teatral em Nova Jersey, onde foi literalmente pregado em uma cruz enquanto cantava (sim, ainda por cima era um musical).
  
O livro das listas é um livro viciante, curioso, engraçado e bizarro. Os títulos das listas falam por si só e chamam a atenção instantaneamente. Quem não fica com certo tom de estranheza no rosto ao ver as listas 22 casos de animais e insetos trazidos perante a lei, 9 pessoas que morreram rindo ou 10 pessoas famosas que leram seus próprios obituários. Um livro que vale a pena ter na estante para consultas e inspirações, mesmo que sejam inúteis.