sexta-feira, 2 de setembro de 2016

POWERS


Quando essa série saiu com exclusividade para o serviço de Streaming do Play Station eu fiquei chateado. Mas enfim consegui assistir, tomara que a Sony um dia libere de alguma forma para pessoas que não jogam ou que não tenham PS, pois se trata de uma série muito legal. Adaptação do HQ de mesmo nome, Powers foi escrito por Briam Michael Brandes, e a série foi muito feliz na escolha da trama e de como a história foi transposta para a tela. É uma baita série nerd.


Um ponto legal é que ela segue um ponto parecido com a HQ, onde o passado dos personagens não foi mostrado e você vai descobrindo episódio atrás de episódio toda a história anterior, que resulta nos acontecimentos atuais e explicam rixas pessoais e maneiras de agir. Em especial o super-herói do passado, o Diamante Negro, agora sem poderes e trabalhando como investigador numa sessão especial denominada Powers, que atua em casos que tenham pessoas com poderes envolvidos. Seu nome é Christian Walker, ex-parceiro e ex-namorado da heroína Retrô Girl, ainda em atividade.

Christian vive atormentado pelo fato de ter perdido seus poderes após um fato do seu passado ligado ao poderoso vilão Wolfe, preso até o momento em uma prisão de segurança máxima, sendo mantido em estado vegetativo forçado, para que não use seus poderes. Após seu parceiro ser morto por um Power, Christian recebe a nova parceira Deena Pilgrim com certa aspereza, bem na época em que uma estranha droga está sendo traficada e causando a morte de meta-humanos, usada com a promessa de intensificar poderes ou dar à pessoas normais a chance de conseguir seu "dom especial" transando com um Powers drogado. Mas para o investigador isso é tudo obra de seu antigo rival, Johnny Royale, presumidamente morto. Royale tem a capacidade de desaparecer em um piscar de olhos e reaparecer aonde bem entender (necessitando saber pelo menos as características e endereço de onde quer ir).


É muito legal ver como as pessoas comuns interagem com os super-humanos. Nem todos os Powers têm poderes legais, como a Retrô Girl, cheia de fãs por onde passa, com entrada Vips em baladas, etc. Quando eram parceiros, Christian e sua namorada faziam parte de um grupo de heróis e um deles, o Olympia, é encontrado morto após tomar a tal droga. Uma fã de Retrô Girl, a jovem Calista, pensando ter um poder adormecido, consegue ter relações sexuais com Olympia utilizando a droga sem saber de seus efeitos colaterais, que vitima o herói e acaba envolvendo Calista com a dupla de investigadores, com a própria Retrô Girl, e o pior, com Royale.

Sempre gostei do ator Sharlto Copley, atuando bastante em filmes nerds, como Distrito 9 e Elysium, e agora é o nosso querido Christian, esforçado e conhecedor desse mundo cheio de pessoas poderosas. A série tem vários clichês disfarçados, mas que não atrapalham a diversão. Para mim o único ponto fraco é a atriz Susan Heyward, que interpreta Deena Pilgrim, a parceira de Christian, que não parece natural. Mas não sou uma pessoa que entende muito de atuação e posso muito bem estar enganado. Assista e tire suas conclusões. Além dessa história central, as tramas paralelas também são muito boas. Vale a pena assistir.