quarta-feira, 17 de agosto de 2016

O INCAL



Antecipadamente gostaria de alertar que o Incal não é uma leitura comum. Se você está acostumado com quadrinhos de super-heróis e não se sente com a mente aberta para adentrar num mundo totalmente diferente do apresentado pela Marvel ou DC é melhor não ler essa obra. Você pode entender, pode até chegar ao fim da leitura, mas talvez não absorva todo o conteúdo apresentado. Deixe o Incal num lugar separado, para quando você realmente estiver com a mente aberta e com a vontade de se aprofundar num universo rico e dinâmico. Garanto que desta forma você entenderá o motivo dessa história ter tantos fãs e adoradores, mas mesmo assim sei que outros tantos torcerão o nariz. O francês Moebius esta longe de ser apenas um desenhista, ele consegue transpor para os quadrinhos todo o drama e aventura surreal criada pelo espanhol Alejandro Jodorowsky, transformando O Incal em uma obra de arte para ser conhecida. Mais ficção cientifica impossível, uma mistura de Star Wars e Blade Runner que poderia muito bem ter a trilha sonora composta pelo Pink Floyd.

Os acontecimentos são jogados na sua cara, com explicações rápidas e sem muito tempo para você se adaptar com as ideias que vão surgindo. Logo nas primeiras páginas o protagonista John Difool é jogado do Beco do Suicídio por mascarados, num enorme foço que vai dar diretamente no Grande Lago de Ácido, sendo salvo da morte pela polícia que exige uma explicação, que ele dá ocultando boa parte da história. John é um detetive particular licenciado classe R, uma porcaria de detetive. Ele é diferente de todos os heróis ou protagonistas de grandes sagas: não é bonito, é egoísta, está sempre querendo se dar bem. Após se complicar em um de seus serviços e precisar fugir pelos subterrâneos da cidade, o detetive se depara com um “mutante” ferido, que lhe entrega um artefato com enorme poder, o Incal, antes de morrer. Num primeiro momento, John não dá a mínima para o artefato, mas percebe sua importância devido a ele começar ser perseguido por caçadores, robôs destruidores, seitas tecnológicas e matadores. Em companhia de sua ave de concreto, Deepo, John terá a maior experiência de sua vida, que será mudada para sempre.


Essa é a história que perfaz todos os quatro volumes, onde as desventuras de John se desenrolam de maneira vertiginosa, rápida, cheia de altos e baixos. Nesse futuro a tecnologia é utilizada de maneira não convencional, avançada de tal forma que já consegue alterar a biologia e física, gerando transformações surreais ao meio ambiente e aos seres que o habitam. As viagens espaciais são corriqueiras, as diferentes raças dos planetas convivem normalmente e são hipnotizadas por programas televisivos sem qualidade, onde a necessidade de utilização de drogas já atinge a toda população, os órgãos dos mortos são reutilizados para aumentar o tempo de vida dos demais (mas quem tem grana pode simplesmente trocar de corpo), os lugares estão cheios de "homeoprostitutas", ou seja,  uma sociedade degradante e sem vontade de mudar, alheios aos problemas que os rodeiam.


Mas parece que o Incal veio para mudar esse cenário e John é uma peça fundamental nesse plano superior. Inimigos se tornam amigos e alguns de seus perseguidores recebem a missão de se unir a ele em objetivos improváveis. Metabarão é o caçador de recompensas mais temido da galáxia, incumbido à força de recuperar o Incal em poder de John, mas acaba se tornando um aliado valoroso. Matador, metade homem é metade cachorro,  precisa esquecer-se de uma rixa com Difool para poder prosseguir no grupo. A ave Deepo, após engolir o Incal e cuspi-lo, consegue se comunicar com a equipe e até ajudar nos problemas que se envolvem. O filho de criação do Metabarão, o andrógeno Solune, é o escolhido como receptáculo da entidade contida no Incal, e as duas irmãs Animah e Tanatah, com interesses conflitantes e protetoras do Incal Iluminado e do Incal Negro completam o grupo de aventureiros.

Moebius esbanja criatividade ao criar diversas raças alienígenas, como os Bergs, os Corcundas, Pútridos, etc. Jodorowsky consegue dinamizar a ação tão rapidamente, que em uma página John está sendo desintegrado, mas na outra os seus amigos já conseguem reverter a situação e ele é rapidamente enviado para outra missão. Não há perda de tempo e se houver alguma necessidade de pausa, que fique nas entrelinhas e que seja imaginada pelo próprio leitor. Além das raças distintas, há também os grupos sociais, como os cientistas da Tecnocidade que querem que o poder do Incal seja absorvido pelo Ovo Negro. Ficção Cientifica pura.