sexta-feira, 6 de maio de 2016

DARKWING DUCK







Darkwing Duck é o que aconteceria se juntássemos o desenho dos Duck Tales com Batman. Mais parecido com o personagem Darkman, de 1990 (interpretado por Liam Neeson), só que muito mais atrapalhado, a animação foi uma resposta da Disney ao sucesso do desenho do Tio Patinhas e Sobrinhos, os Duck Tales, onde temos o cômico pato Drake Mallard, que se transforma no engraçado Darkwing Duck, defensor dos fracos e oprimidos, que em companhia do já conhecido Capitão Boing, tenta desastradamente derrotar os vilões de sua cidade.

Suas frases de efeito são o aviso que ele está chegando, como “Eu sou o terror que voa na noite”, “Eu sou o troco do pão devolvido errado” ou “Eu sou a cera que entope seu ouvido”. Mas as frases eram sempre finalizadas com “Eu sou Darkwing Duck”. Com seus equipamentos defeituosos (Drake está longe de ter a fortuna de Bruce Wayne) ele faz o possível para defender a população de sua cidade dos malfeitores tão engraçados quanto ele.


Entre os vilões estão o Patoplanta, sempre necessitado de fotossíntese; O Patoringa, referencia ao vilão do Homem Morcego, aqui parecendo um bobo da corte; Megavolt, com poderes elétricos e uma tomada na cabeça; Bico de Ferro, um inimigo elegante e agente de uma organização criminosa (uma homenagem ao vilão de 007). Mas o maior inimigo de Darkwing Duck é uma cópia sua chamada Nega Duck (parecido com o herói, mas com cores diferentes).




O desenho fez muito sucesso e foi uma grande atração na TV Colosso, mas sempre achei que ele foi muito mal utilizado pela Disney. Parecia que era para ser uma versão do Superpato, alter ego do Donald nos quadrinhos, mas com outros personagens. A voz da dublagem brasileira era feita por Nelson Machado, o dublador do Quico, quem em uma entrevista revelou que dublar o pato era muito cansativo devido à maneira peculiar de falar. Ao invés de um sobrinho para seguir seus passos, temos uma protegida chamada Gosalyn, que começa a viver com o Darkwing Duck após ser salva por ele. Em muitos momentos as atrapalhadas do herói são também feitas no lar, tentando de uma maneira sem jeito educar a garota, mas a menina hora e meia segue o pai em suas aventuras noturnas e soluciona os crimes bem antes do herói. Em uns episódios há a participação especial de Robo-Pato, personagem criado para o desenho dos Duck Tales, que também faz parte dos Patos Justiceiros, grupo formado como se fosse a Liga da Justiça da Disney.

O clima sombrio e noturno, com uma palheta de cores escolhida para dar um ar a lá Dick Trace ao desenho, dão um charme e o tom á trama, que infelizmente chegou ao fim e muita gente hoje nunca ouviu falar dele, mesmo tendo sido lançado uma série de gibis na época. Que tenhamos notícias futuras do “terror que voa na noite”.