segunda-feira, 14 de março de 2016

DEMOLIDOR: O HOMEM SEM MEDO


As histórias do Demolidor podem ser divididas como antes e depois de Frank Miller. Quando a Marvel lhe confiou as revistas do herói que corriam perigo de cancelamento e já estavam com periodicidade bimestral no início da década de 80, o escritor e desenhista não só apenas transformou o título em sucesso mensal, fazendo seu nome subir ao estrelato, como muitos outros escritores seguiram seu estilo narrativo. Mas em Demolidor: O Homem sem medo a arte é do competente John Romita Jr, que nos abrilhanta com seus desenhos maravilhosos onde costumamos acompanhar heróis agindo nas cidades de uma maneira sempre especial e diferente dos demais desenhistas. Muito experiente com heróis urbanos, Romita dá seu toque especial ao Demolidor.

Após alguns anos sem trabalhar com o herói, Miller revisita a origem de Matt Murdock e nos faz voltar no tempo onde o pequeno Matt acabara de sofrer o acidente que lhe tirara a visão. Ainda com a bandagem nos olhos, Matt vai descobrindo que seus demais sentidos estão mais aguçados. No decorrer de sua vida difícil com o pai solteiro, sempre nos altos e baixos na carreira de boxeador, ele logo conhece Stick, também cego e membro de um clã de ninjas que o ensina suas artes marciais e também a controlar seus demais sentidos. Em troca do treinamento, Stick esperava levar o garoto ao clã como pupilo. Mas seus planos foram por água abaixo quando o pai de Murdock é assassinado por não ter entregado uma luta. Esse momento na vida de Matt é fundamental para a criação do herói Demolidor, da mesma forma que o assassinato dos pais de Bruce Wayne moldou o futuro de Batman.


Diferente da série do Demolidor, ou ainda não mostrada nela, Matt vai atrás dos assassinos para vingar-se e um inocente acaba morrendo no processo. Devastado, o garoto acaba escolhendo outro rumo para sua vida e se desgarrando de seu mentor. Ele seguiria a carreira de advogado e na faculdade conheceria Foggy Nelson, seu futuro sócio, e também um grande amor de sua vida, a ninja Elektra. Os desenhos de Romita Jr. casam perfeitamente com os contornos de Elektra, e também em varias imagens de página dupla que permeias as cinco edições que completam a história.

No mesmo tempo que o Demolidor vai evoluindo suas técnicas e trocando seu uniforme, outro grande personagem que ficará conhecido em Hell’s Kitching como Rei do Crime terá uma participação especial, mas a relação de Elektra com o próprio pai onde Murdock cai de paraquedas é que darão o tom de perigo e explicarão o motivo da garota sumir na vida do jovem e reaparecer anos depois.


Lançada em 1993 nos EUA e no ano seguinte aqui no Brasil, com certeza foi utilizada na série do Netflix, e quem assistiu a série e leu o HQ vai ver muitas semelhanças e até algumas cenas idênticas (como a cena em que Stick conversa com um homem - O Rocha - no final do episódio 07, único em que o antigo mentor do herói aparece). O uniforme preto utilizado por Murdock no seriado surgiu nessa HQ e acredito que na próxima temporada sejam utilizadas mais cenas, uma vez que teremos a aparição de Elektra. Vida longa ao Homem sem Medo.